CRIANÇAS NÃO VEM COM MANUAL DE INSTRUÇÃO!

por Sergia Rodrigues Kelling

“Crianças não vêm com manual de instrução!” – Essa é uma frase antiga e comum entre pais, mas verdadeira. Porque as crianças não tem esse manual, os pais têm que aprender como lidar com os filhos na prática do dia-a-dia. Porém esse trabalho diário não precisa ser feito sozinho, os pais podem e devem buscar ajuda e conselhos de outros para a educação de seus filhos. Procurar ajuda não é sinal de fraqueza ou incompetência, e sim sinal de que vocês estão interessados em fazer o melhor para seus filhos.

Dentro desse universo da criação de filhos, um dos assuntos que os pais mais procuram ajuda é o relacionado a disciplina. Disciplinar os filhos não é uma tarefa simples, mas é possível. Para isso algumas informações e dicas práticas podem ajudar.

A primeira coisa que os pais precisam entender sobre disciplina é para que ela serve. Disciplinar é dar ferramentas, ensinar o filho/a  ter autocontrole. Pensem comigo, autocontrole é algo que usamos diariamente em todas as situações na nossa rotina. Se temos que resolver situações de conflito em casa ou no trabalho exercitamos nosso autocontrole. Portanto essa deve ser nosso objetivo quando estamos disciplinando as crianças. As crianças pequenas não tem condições neurológicas para exercitar autocontrole, por isso esse controle deve ser imposto e vindo de fora, dos pais ou responsáveis. As crianças agem de maneira impulsiva e não é porque elas sejam malcriadas, é simplesmente por falta de controle inibitório de seus comportamentos. Essa é uma aprendizagem que leva anos e consistência por parte dos pais. Mas uma coisa posso garantir, se os pais tirem essa consistência na disciplina dos seus filhos, eles se tornaram adultos seguros e controlados.

Efésios 6:4 diz – E vós, pais, não provoqueis a ira dos vossos filhos, mas educai-os de acordo com a disciplina e o conselho do Senhor.    

Disciplina é um chamado de Deus para os pais. Para alcançar esse objetivo vou dar-lhes algumas dicas:

  • Confiem no seu instinto maternal/paternal. Na maioria das situações você já sabe o que deve fazer, tenha coragem de tomar a decisão certa mesmo que isso deixe seu filho/a frustrado ou triste. No futuro ele vai te agradecer.
  • Procurem ter amigos com mais experiência na criação de filhos e os busquem quando não souberem o que fazer.
  • Apresente ao seu filho outro adulto que possa falar a mesma linguagem que você em relação aos assuntos difíceis. Algumas vezes as crianças precisam ouvir a mesma coisa que você disse, mas de uma outra pessoa de confiança.
  • Quando seu filho/a lhe procurar para resolver algum conflito peça para ele iniciar sua fala com a frase Eu__________. Assim, ao invés dele começar acusando ou reclamando do outro, ele é obrigado a iniciar falando dele mesmo. Ex: Eu peguei a roupa da minha irmã sem pedir. Daí ela me deu um tapa. Nessa explicação a criança assume sua parcela de culpa na situação, antes mesmo de acusar a irmã. (É claro que as duas estavam erradas nessa situação, mas esse tipo de conversa traz uma reflexão sobre o atos das duas).
  • Deixe sempre as regras bem claras com as crianças antes de colocá-las em prática.
  • Pais e mães devem estar na mesma página em relação à disciplina dos filhos.

Se vocês tiverem consistência e paciência para colocar as suas regras em prática, seus filhos conseguirão se tornar adultos com autocontrole e capacidade de lidar e resolver os problemas da vida diária. Esse pode ser um dos seus maiores legados!         

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *